/TAO – MEDITAÇÕES DIÁRIAS 032 – Ubiqüidade

TAO – MEDITAÇÕES DIÁRIAS 032 – Ubiqüidade

UBIQÜIDADE

Tao está em toda a parte.

Não pode ser subtraído aos sinceros.

 

Tao teve origem na China e foi uma expressão dessa cultura. Estava intimamente ligado a uma visão poeticamente agrária do mundo e fundia misticismo e pragmatismo. Agora, porém, a maioria de nós, mesmo na China, não compreende as palavras antigas. Nossa agricultura é mecanizada. Nossa poesia é escrita em computadores. Isso invalida Tao? Não. Tao ainda está aqui e, para seguirmos Tao, não devemos nos valer de padrões antigos, mas da experiência direta. As mentes contemporâneas precisam de conceitos contemporâneos para interessa-las.

Se seguir Tao é tão grandioso como afirmam os mestres, então, deve ser aplicável a qualquer situação e raça. Nem tempo, nem lugar, nem cultura devem ser uma barreira para quem busca sinceramente. Tao nos rodeia: só precisamos de orientação e compreensão para nos conectarmos a ele.

Tao não é algo esotérico. Está bem aqui. Os mestres aludem a isso o tempo todo. Para eles, qualquer coisa – de ler as escrituras a ir ao teatro, de meditar a varrer esterco do chão – é Tao. Eles compreendem a natureza ubíqua de Tao e agem em conformidade com ela. Se os mestres ainda conhecem Tao neste mundo de jatos e comunicação eletrônica, então, também podemos absorver a mensagem essencial de Tao. Os que conseguem, podem nunca falar disso e, contudo, tudo o que fizerem seguirá espontaneamente Tao.